origem das coisas
A Origem das Coisas

Quando, Onde, Como, Por Quem…

 
   

Como todos os dias se celebram milhares de aniversários no mundo, é interessante saber qual a origem deste costume.

Os aniversários têm origem pagã relacionada com a magia (as velas simbolizam a ligação com espiritual e protecção) e com a religião, embora no caso do cristianismo este costume estivesse abolido até ao século IV, altura em que a Igreja começou a comemorar o nascimento de Jesus Cristo.

Na antiga Grécia na Grécia, onde todos os anos se homenageava a Deusa da caça, Artemis, com um bolo e várias velas em cima de bolos de mel redondos para simbolizar a lua que, segundo a mitologia grega, era a forma da Deusa Artemis se expressar.

Nessas sociedades primordiais as comemorações de aniversário eram reservadas às classes sociais de elite e aos deuses. Assim, tanto os egípcios como os gregos restringiam essas festividades apenas aos faraós e deuses. Já os romanos permitiam essas celebrações apenas ao imperador, à sua família e aos senadores.

Com o tempo esse hábito acabou por chegar à Alemanha, na Idade Média, onde os camponeses festejam os aniversários dos seus filhos com um bolo, as velas em número idêntico à idade da criança e mais uma vela que simbolizava a luz da Vida.

Para se perceber a importância dos aniversários natalícios, deve-se compreender que na Idade Média as pessoas tinham uma crença profunda na existência de espíritos bons e de espíritos maus. Todos receavam que esses espíritos maus causassem mal ao aniversariante no seu dia de nascimento, pelo que ele ficava rodeado pela família e pelos amigos, cujos votos de felicidade e sua própria presença, o protegeriam contra os perigos desconhecidos que esse dia supostamente representava. A oferenda de presentes resultava numa protecção mais forte e quando acompanhada por uma refeição em conjunto ajudava a invocar a presença dos espíritos bons.

Pode-se portanto concluir que nesses tempos a festa de aniversário natalício destinava-se essencialmente a proteger a pessoa do mal e a tentar garantir que tivesse um bom ano à sua frente.

Actualmente as festas de aniversário servem para celebrar a conquista de mais um ano de vida e já não se invocam espíritos bons ou se tenta afastar espíritos maus. Trata-se essencialmente de um dia que se quer feliz e alegre, passado na companhia das pessoas que nos são mais queridas e importantes.

Os Aniversarios no Mundo (ver abaixo)

Rússia, Sérvia, Bulgária e Grécia

As meninas desses países têm direito a duas festas de aniversário por ano. Isso deve-se ao facto de que a maior parte delas tem nomes de santas e por isso é hábito comemorarem na data de nascimento e no dia da sua padroeira.

Finlândia
Na casa do aniversariante é costume hastear a bandeira do país. A tradição obriga a que seja servido um excelente pequeno-almoço com a família.

Senegal
Neste país a moda é preparar vários tipos de carne para homenagear a pessoa aniversariante. E convém que se esteja com energia extra (e dinheiro) pois a tradição obriga a que toda a vizinhança tenha direito a saborear o churrasco do aniversariante.

Tailândia
Em vez de ser feita uma festa de arromba, o aniversariante aproveita o seu dia para agradecer a vida e fazer boas acções, entre elas, distribuir alimentos aos monges budistas que passam pela rua.

México, Chile, Cuba e El Salvador

Durante a festa, o aniversariante, de olhos vendados, deve quebrar a piñata (vaso de barro cheio de guloseimas) com um pau de madeira, enquanto os amigos e familiares cantam músicas tradicionais de seu país.

Coreia
Na primeira festa de aniversário a criança coreana é posta em frente a uma série de objectos trazidos pelos convidados. Acredita-se que o presente escolhido pelo bebé dá uma sugestão do seu futuro e da sua futura profissão. Se, por exemplo,  ele escolher um carretel de linha, significa que terá uma vida longa e se escolher um livro será totalmente dedicado aos estudos. Por outro lado se escolher dinheiro ou arroz, terá sucesso financeiro quando for adulto.

Curiosidades:

– A palavra “aniversário” é de origem latina. Vem da junção da palavra “annus” (ano) e da palavra “vertere” (voltar), ou seja, “aquilo que volta todos os anos”.

– A celebração dos aniversários na Alemanha da Idade Média era efectuada ao amanhecer, sendo a criança acordada no dia do seu aniversário com um bolo de velas acesas.

3 Responses so far.

  1. Almeida diz:

    Gostei muito da forma sucinta e direta em o assunto foi descrito aqui. A origem pagã e a associação com espíritos me fez perceber porque alguns cristãos relutam em comemora-lo. Obrigado pela boa matéria apresentada.

  2. Laryssa diz:

    É otimo esse site