origem das coisas
A Origem das Coisas

Quando, Onde, Como, Por Quem…

 
   

O nome “Francesinha” pouco significará para aqueles que nunca viveram em Portugal, e mesmo em Portugal existem milhares de pessoas que não fazem a mínima ideia do que se trata.

Mas afinal o que é?

A Francesinha é um petisco nascido na cidade do Porto, que basicamente se pode exemplificar como sendo feito com duas fatias grossas de pão de forma, ligeiramente torrado, entre as quais é adicionado um bife de vaca, linguiça, mortadela, salsicha fresca e queijo. Cobre-se com múltiplas fatias de queijo por todos os lados e vai ao forno até o queijo começar a derreter. Finalmente deita-se aquele que é o ingrediente mais importante da Francesinha: o molho quente, ligeiramente espesso e picante.

Segundo reza a história, foi um português de nome Daniel David Silva que nos anos cinquenta trabalhava no restaurante “A Regaleira”, no Porto. Tendo sido emigrante em França, ele usou como inspiração uma das sanduiches mais típicas de França, o “Croque-Monsieur”.

A sua ideia foi a de ajustar os ingredientes ao paladar e cultura gastronómica das gentes da cidade do Porto, habituadas a comidas substanciais de sabores fortes e quentes, acabando por criar o famoso molho que é, sem qualquer contestação, a alma de qualquer boa Francesinha.

A diversidade de bebidas alcoólicas nele utilizadas e a sua quantidade, afectam de forma determinante o seu sabor e a sua acidez ou doçura. Existem restaurantes que fazem molhos de excelência cuja combinação de ingredientes é um segredo que dura há gerações.

Mas se o molho é a alma da Francesinha, a qualidade das carnes utilizadas e até o tipo de pão que se usa são a sua estrutura, sendo o paladar final fortemente influenciado pela sua escolha criteriosa.

O aspecto final de uma verdadeira Francesinha

O aspecto final de uma verdadeira Francesinha

De confecção barata, tornou-se um prato do povo acabando por se transformar numa das mais apreciadas iguarias da cidade do Porto, ao ponto de existirem restaurantes especializados em Francesinhas.

O site AOL Travel elegeu a Francesinha como uma das 10 melhores sanduíches do mundo, considerando que, apesar do seu diminutivo, esta iguaria de “pequena tem muito pouco”.

No top elaborado pelo AOL Travel a Francesinha aparece ao lado das sanduíches: Roujimao (China), Smorrebrod (Dinamarca), Kati Roll (India), Pan Bagnat (França), Gelato Sandwich (Itália), Indian (Navajo), Taco (Estados Unidos), Chip Butty (Reino Unido) e Cemita (México).

Tal como outras coisas na vida, uma Francesinha não pode ser explicada tem de ser experimentada.

Curiosidades:

– As variantes da verdadeira Francesinha são muitas e regra geral nada têm a ver com a original em termos de sabor final. A mais conhecida é a Francesinha Poveira, nascida na Póvoa do Varzim em 1962, que é feita com pão cacete e cuja versão tradicional não é servida com molho.

– Os principais locais onde se pode experimentar das melhores Francesinhas da cidade do Porto, são: Café Santiago, Bufete Fase, Lado B, Afonso e Café São Nicolau.

– Como qualquer Portuense sabe, uma Francesinha é acompanhada com batata frita aos palitos e cerveja estupidamente gelada.

10 Responses so far.

  1. Manuel Guedes Silva diz:

    Tive a oportunidade de comer muitas vezes a francesinha original elaborada pelo seu autor, o Sr. DANIEL mesmo um senhor, no trato e na atenção para os clientes.
    Só tinha duas variantes: normal ou “a Leixões “, sendo que esta era extra picante linguagem que era usada apenas pelos clientes habituais.
    Já comi francesinhas em muito sítio
    as nenhuma se podia comparar às do Daniel, uma OBRA PRIMA

  2. Paulo Portulez diz:

    Que eu me lembre foi nos anos 60 e sobretudo no Café Mucaba em Vila Nova de Gaia que começaram as Francesinhas

  3. Hamilton Costa diz:

    O que me chamou a atenção e me levou a pesquisar, foi descobrir que a palavra SANDUÍCHE é substantivo FEMININO na língua portuguesa de Portugal. Ah … pois, pois !!!

  4. thigo diz:

    As matérias deste site são muito boas e intuitivas, porem o background e o tamanho da fonte são riums, tentem reformular!

  5. Daniela diz:

    A melhor, para mim, é a do Restaurante Embaixador, na Rua de Sampaio Bruno, ao pé da Avenida dos Aliados.
    Maravilhosa

  6. Infelizmente muitas casas estão deixando de usar piri-piri no molho por causa – segundo eles – de pessoas que não gostam de sabores picantes, especialmente turistas . Acho que sem esse sabor a francesinha perde um pouco da sua alma.

  7. Judite Barbosa diz:

    Há uma casa na Rua Passos Manuel – quase frente ao Coliseu – referenciada como a melhor francesinha (ou das melhores).
    Comi na Regaleira, há muitos anos.
    Comi na tal casa de Passos Manuel, anos depois.
    Elejo esta : a carne mais tenra e o molho menos agressivo.

    Não sou fã.
    Recomendo aos amigos de visita a de Passos Manuel .

    Obrigada pela vossa explicação e informação.
    Bom serviço público.
    T

  8. Antonio J. Silva diz:

    Uma curiosidade, segundo um portugues me contou quando eu morava ao lado do Porto, Vila Nova de Gaia,que o molho picante tem haver com a francesa que e tbm picante, ai veio a ideia do molho picante…rsrsrssss…!!

  9. Luís Almería diz:

    Originalmente a Francesinha era feita com carne assada e não bife, nem levava batata frita, essa é uma introdução relativamente recente, quando se começou a come-la como refeição e as – então – novíssimas casas de Hambúrgueres os serviam com uma dose de batatas.

    • Antero Braz da Silva diz:

      Também confirmo que inicialmente as francesinhas levavam carne assada em vez de bife.
      O ovo estrelado e as batatas fritas foi coisa que apareceu muito mais tarde.
      O molho era muito mais picante do que actualmente, porque interessava que fosse apelativa à cerveja.
      Hoje, com o aparecimento dos molhos pré fabricados, há algum facilitismo de má qualidade.