origem das coisas
A Origem das Coisas

Quando, Onde, Como, Por Quem…

 
   

Filo de Bizâncio é tido como o primeiro que fabricou um instrumento para indicar determinadas temperaturas, em 300 a.C..

Quase cem anos depois, Ctésibo de Alexandria reinventou o instrumento utilizando um tubo de vidro com formato de “U” invertido com uma vasilha em cada extremidade. Quando o líquido de uma vasilha era aquecido, aumentava como resultado da dilatação.

Em 1592 este sistema foi outra vez reinventado, desta vez pelo físico e astrônomo italiano Galileu Galilei, o qual se deverá ter inspirado nos escritos de Heron de Alexandria, que haviam sido publicados em Itália em 1575. O seu primeiro modelo era constituído por um globo de vidro com ar, que afunilava, e onde era colocado um tubo com água corada. A água subia ou descia conforme a temperatura do que fosse encostado ao globo. Chamou-se termoscópio e dava, não uma medida precisa mas sim a noção de temperaturas por comparação. Quanto maior a temperatura, maior a altura do líquido.

Cópia do Termoscópio de Galileu

Apercebendo-se das possibilidades do instrumento na medicina, em 1611 o médico italiano Santorio Santorre idealizou uma escala para aplicar ao termoscópio criado por Galileu, fazendo dele o primeiro termómetro clínico conhecido. Interessado em medir a temperatura do corpo, Santorre fez experiências em Pádua onde leccionava mas o aparelho não era fiável devido à influência da pressão atmosférica.

O mesmo problema verificou-se na tentativa do médico francês Jean Rey que pensava resolver o problema substituindo o ar por água, mas que rapidamente se apercebeu não ser essa a solução.

Foi Ferdinando II de Medici, grão-duque da Toscana, que resolveu esse problema com a criação dum termómetro fechado contendo álcool, cuja dilatação é mais rápida que a da água.

Através do séc. XVII foram criados inúmeros modelos mas nenhum deles era rigoroso pois constatava-se sempre que nenhuma das medidas coincidia. Tentou-se elaborar diversas escalas com base em diferentes pontos extremos de temperatura mas sem sucesso, a falta de precisão e rigor das medições mantinha-se.

Em 1709 chegou a primeira grande evolução nessa área, através do físico polaco Gabriel Fahrenheit, o qual criou um termómetro a álcool com uma escala que variava entre os 32º (0º C) e os 212º (100º C), extremamente fiável. Poucos anos depois, Fahrenheit apercebeu-se que o mercúrio era mais uniforme que o álcool, e decidiu criar o primeiro termómetro de mercúrio a vácuo.

Realçando a importância que o médico holandês Hermann Boerhaave dava à temperatura dos pacientes, o astrónomo sueco Anders Celcius fez um termómetro de mercúrio com uma escala de 0 a 100º, que se tornava mais fácil de ler, considerando a temperatura corporal de 36,7º (98,6º F). Tinha nascido a escala Celsius, em contraponto à escala Fahrenheit.

No entanto estes modelos iniciais de mercúrio tinham todos um problema. O mercúrio descia rapidamente levando a leituras grosseiras.

E foi da Escócia que chegou a solução. O médico Sir William Aitken resolveu o problema estrangulando o termómetro acima do reservatório de mercúrio para que este não descesse tão rápido, bastando agitá-lo para voltar ao valor inicial.

Mais de seis países tiveram personalidades que, de uma ou outra forma, contribuíram para a criação do termómetro, instrumento que hoje em dia é absolutamente indispensável na nossa sociedade.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 9.2/10 (17 votes cast)
A Origem do Termómetro, 9.2 out of 10 based on 17 ratings

One Response so far.

  1. gabriel diz:

    me ajudou muito em um trabalho para a escola