origem das coisas
A Origem das Coisas

Quando, Onde, Como, Por Quem…

 
   

A história deste monumento sublime provém de uma ideia nascida no ano de 1859. De visita ao Rio de Janeiro, o padre lazarista Pedro Maria Boss sugeriu à princesa Isabel que fosse construído um monumento religioso no cimo do morro do Corcovado, que com os seus 710 metros de altura é um mirante privilegiado sobre a cidade do Rio de Janeiro.

A princesa Isabel mostrou-se receptiva mas o primeiro apoio oficial só veio a concretizar-se após 1912, quando o Cardeal Dom Joaquim Arcoverde abraçou definitivamente a ideia, como prova de que a Igreja estava do lado do povo brasileiro.

Em 1921 o projecto do Cristo Redentor foi tido em conta atendendo às comemorações do Centenário da Independência do Brasil que se realizariam no ano seguinte. Deu-se a primeira assembleia para se decidir o local para a edificação do monumento. Em disputa estavam o Corcovado, o Pão de Açúcar e o Morro de Santo António. O vencedor foi o Corcovado, pela sua maior dimensão e posição geográfica, que facilitava os acessos.

No ano seguinte, mais de 20 mil assinaturas elaboraram um abaixo-assinado solicitando ao presidente Epitácio Pessoa a construção da estátua, tendo ele cedido o local para a construção do monumento.

A primeira pedra do Cristo Redentor foi aplicada no dia 4 de Abril de 1922 e em 1923 foi escolhido o projecto do engenheiro Heitor da Silva Costa para a execução.

Inicialmente a ideia da estátua era a representação de um Jesus Cristo com uma cruz na mão direita e o mundo na mão esquerda mas a pedido do cardeal brasileiro Sebastião Leme, o desenho foi transformado para uma imagem com um simbolismo religioso mais forte e que pudesse ser percebido a qualquer distância.

A imagem do Cristo Redentor foi criada pelo pintor e desenhista brasileiro Carlos Oswald e executada pelo escultor francês Paul Landowsky. O responsável pela obra era o engenheiro Heitor Levy.

Durante 10 anos decorreu uma campanha para arrecadar fundos para a execução da obra, a qual teve o seu início em 1926 e demorou cinco anos a ser terminada. A inauguração do monumento foi marcada para o dia 12 de Outubro de 1931, um dia que se apresentou com mau tempo o que impediu que se desfrutasse da visão espectacular do monumento. Apesar disso estiveram presentes o chefe do Governo Provisório, Getúlio Vargas e o cardeal Dom Sebastião Leme, que deu a bênção.

Inauguração do Cristo Redentor em Out. 1926

A estátua tem 38 metros de altura e pesa 1145 toneladas. Como obra que combina engenharia, arquitectura e escultura, adicionada aos factos de que as condições de construção estavam longe de ser as ideais e que não houve nenhum acidente mortal durante a sua edificação, fizeram Levy qualifica-la de “obra hercúlea, guiada por mãos divinas”.

Esta imagem do Cristo Redentor é duma extrema beleza e uma homenagem à religiosidade, tendo-se tornado o símbolo do Rio de Janeiro que recebe a todos de braços abertos.

Curiosidades:

- Ao contrário do que se pensa, a estátua do Cristo redentor não foi uma oferta do governo francês ao Brasil. O monumento é totalmente brasileiro, pois o projeto foi criado, construído e financiado por brasileiros.

- O material escolhido para revestir a estátua foi a pedra-sabão. Apesar de ser um material que se pode riscar com uma unha, é extremamente resistente ao tempo e não se deforma com as variações de temperatura.

- Portugal possui uma escultura similar junto à foz do Rio Tejo, na sua margem sul, na cidade de Almada. O monumento, virado para Lisboa, foi inaugurado a 17 de maio de 1959 e constitui o melhor miradouro da capital portuguesa. Designado por Cristo-Rei, é uma das mais altas construções de Portugal, com 110 metros de altura, incluído o pedestal, sendo que a estátua possui 28 metros.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 8.8/10 (18 votes cast)
A Origem do Cristo Redentor, 8.8 out of 10 based on 18 ratings