origem das coisas
A Origem das Coisas

Quando, Onde, Como, Por Quem…

 
   

A origem dos famosos óculos de sol Ray-Ban remonta ao ano de 1937 e aos Estados Unidos.

Algum tempo antes da sua produção o tenente-aviador John McCready, quando regressava duma viagem num balão, queixou-se que tinha os olhos irritados com possíveis danos na retina. Decidiu então contactar um famoso fabricante de óculos nova-iorquino Bausch & Lomb, a primeira empresa óptica americana que tinha sido fundada por J.J. Bausch e H. Lomb. Pediu-lhes que lhe fizessem uns óculos bonitos e que lhe protegessem os olhos do efeito dos raios solares.

Foi da especificidade desse pedido que surgiu o nome que se tornaria uma marca famosa mundialmente: à palavra “Ray” (que significa “raio”) juntou-se a palavra “Ban” (abreviatura da palavra “banish” que significa “eliminar”, ou “banir”). A sua patente foi registada pela Bausch & Lomb a 7 de Maio de 1937.

Este protótipo, que ficou conhecido como Anti-Glare, possuía armações muito leves com cerca de 150 gramas, produzidas em metal banhado a ouro e com lentes verdes dum cristal mineral com a capacidade de filtrar raios infravermelhos e ultravioletas.

Estas extraordinárias características para a época levaram a Força Aérea Americana a aderir em peso a este tipo de óculos para os pilotos dos seus caças que também se deparavam com fortes problemas de visibilidade relacionados com o sol.

Foi portanto natural que o modelo Ray-Ban Aviator se tenha tornado extremamente popular entre os pilotos, mais ainda quando o general Douglas McArthur foi visto a usar esses mesmos óculos na altura do desembarque numa praia das Filipinas na Segunda Guerra Mundial.

O General Douglas McArthur e os seus Ray-Ban Aviator

Rapidamente os Ray-Ban atravessaram fronteiras e espalharam-se pelo Mundo, tornando-se moda no público em geral.

Nos anos 50 o designer Raymond Stegeman criou um modelo de óculos chamado Wayfarer, com hastes em plástico e inspirado em carros da época. A Bausch & Lomb interessou-se e Stegeman vendeu-lhes os direitos, aparecendo assim o modelo Ray-Ban Wayfarer. Este modelo, mesmo tendo sido direccionado também para os pilotos, acabou por ter o seu maior sucesso entre os artistas e actores que rapidamente o adoptaram.

Na década de 60 estiveram em destaque os Ray-Ban Jackie Ohh, muito provavelmente por terem sido usados por Jaqueline Kennedy. Apesar disso nunca atingiram a popularidade dos dois primeiros modelos.

Chegados os anos 70 o sucesso alcançado pelo Wayfarer tinha atingido nas décadas de 50 e 60 começou a decrescer, tendo a Ray-Ban decidido apostar de novo nesse modelo através de Hollywood, na década de 8o, tendo voltado à ribalta em termos de moda e vendas.

Em 1999 a Ray-Ban foi comprada pela empresa italiana Luxottica por 640 milhões de dólares.

Actualmente existem dezenas de modelos diferentes para todos os gostos e carteiras, mantendo-se sempre a alta qualidade e excelência de design da famosa marca.