origem das coisas
A Origem das Coisas

Quando, Onde, Como, Por Quem…

 
   

A origem do arco perde-se no tempo. O facto de a maioria deles terem sido construídos em madeira, (especialmente no seu início), fez com que a maior parte não tivesse durado até aos nossos dias. No entanto existem desenhos antigos de arqueiros, muitos dos quais ilustram as paredes de algumas cavernas, dando a entender que eles são provavelmente mais velhos do que se pensa.

Os arcos aparecem na história de grande parte das culturas, desde os núbios (famosos por sua destreza com o arco e flecha), os índios de todas as regiões da América, os europeus, chineses e escandinavos.

Os dois principais usos do arco e flecha foram, evidentemente, a caça e a guerra. Ocasionalmente supõe-se que teriam sido usados em competições de tiro, mas esta última função está tão intimamente relacionada com as outras duas que é difícil não as mantermos interligadas.

O alcance de um arco varia entre os 40 e os 100 metros, mas no caso do longo arco inglês essa distância pode ir até aos 400 metros.

Como arma militar, a potência combinada de vários arqueiros tornava-os capazes de abater qualquer ser vivo a uma distância relativamente próxima, até mesmo elefantes.

Existem derivados do arco como a Besta e a Balista que conferem, no primeiro caso, uma maior precisão e facilidade de execução, uma vez que a Besta permite a sua utilização apenas com uma mão, ficando assim a outra mão livre para defesa ou controle do cavalo. No segundo caso, a Balista era uma versão da Besta e era utilizada principalmente em manobras de cerco.

Com o aparecimento das armas de fogo o arco e flecha perderam a sua importância militar, sendo que actualmente apenas são usados em alguns exercícios de caça ou competições desportivas.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 8.5/10 (24 votes cast)
A Origem do Arco e Flecha, 8.5 out of 10 based on 24 ratings